Prefeito rebate ataques sobre briga transmitida ao vivo e reafirma críticas à PM: “Foram truculentos”

 Prefeito rebate ataques sobre briga transmitida ao vivo e reafirma críticas à PM: “Foram truculentos”

Prefeito de São Gonçalo dos Campos transmitiu bate-boca com PM que tentava impedir circulação de mini trio.

Compartilhe
Pub - Inferior notícias

A confusão que tomou conta do evento junino realizado em São Gonçalo dos Campos, interior da Bahia,  na manhã desta quinta-feira (25), ainda gera repercussão. Depois de chegar a ser detido pela Polícia Militar, que impediu a circulação de um mini trio de forró na cidade, o prefeito Tarcísio Pedreira reafirmou as acusações de que Polícia Militar teria sido truculenta em sua ação. “Foi triste, uma ação desproporcional da polícia, que não respeitou a autoridade máxima do munícipio, que é o prefeito”, afirmou em entrevista ao Metro1.

Pedreira explica que o evento realizado na cidade não foi iniciativa da prefeitura e já havia sido realizado pelo mesmo artista no ano passado. “Fomos procurados pelo artista, que é um artista local, e nos questionou se seria possível realizar o evento. Eu como prefeito e como médico impus a condição de que a prefeitura acompanhasse para garantir que o evento não gerasse aglomerações”, explicou. Segundo o gestor, no momento em que foram interrompidos pela PM, a comitiva contava com cerca de 9 pessoas, entre os artistas e representantes da prefeitura, inclusive o próprio prefeito, que acompanhavam o mini-trio. “As imagens mostram que a aglomeração só foi gerada com a chegada da PM, tinha mais polícias do que civis lá. Foi uma ação disproporiconal”, acusa. 

Tarcísio explica que os problemas não começaram apenas na manhã de quinta. Dias antes do evento, a prefeitura tomou conhecimento de uma recomendação do Ministério Público  que orientava a não realização de festejos. “Era uma recomendação, tomamos conhecimento por WhatsApp, não foi direcionado à prefeitura, e também não era uma determinação, porque o Ministério Público nem tem competência para isso. Como já tinhamos assumido o compromisso de fazer, decidimos manter, porque sabíamos que não geraria aglomeração”, defendeu.

Sobre a transmissão de toda a confusão nas redes sociais, que teriam gerado acusações de exibicionismo, o prefeito explicou a razão de decidir manter a transmissão quando a confusão começou “Já estávamos transmitindo antes, tínhamos divulgado que transmitiram, justamente como estratégia para que as pessoas não saíssem de casa. Quando veio a PM, o celular era nossa proteção, uma proteção para quem estava desarmado e abordado com toda aquela truculência”, finalizou Pedreira.   

Metro1

*Todos os comentários são de responsabilidade dos seus autores