Covid: de 24 cidades com leitos de UTI, 13 têm ocupação a partir de 80%

 Covid: de 24 cidades com leitos de UTI, 13 têm ocupação a partir de 80%
Compartilhe
Pub - Inferior notícias

Com a curva ascendente da pandemia do novo coronavírus na Bahia, 13 das 24 cidades com leitos de UTI adulto para pacientes com Covid-19 já possuem taxas de ocupação de pelo menos 80%. Tem início hoje o toque de recolher decretado pelo governo com o objetivo de tentar conter o avanço da doença.

Com validade inicial de sete dias, a medida abrangerá 343 dos 417 municípios baianos. Ficam de fora do toque de recolher somente as regiões Oeste e das cidades de Irecê e Jacobina. Das 22h às 5h, a partir de hoje, será proibido o funcionamento de serviços não essenciais e a circulação de pessoas nas ruas.

Segunda e terceira maiores cidades do estado, Feira de Santana e Vitória da Conquista têm, respectivamente, taxas de ocupação de 87% e 97%, o que deixa muito pressionados os sistemas de saúde locais.

Na cidade do Sudoeste baiano, tanto no Hospital Geral de Vitoria da Conquista quanto no Hospital São Vicente de Paulo, a ocupação é de 100%, enquanto no Hospital de Clínica de Conquista, o índice é de 90%. Existe ainda um agravante: todos os 70 leitos de UTI adulto para Covid-19 da região estão instalados no município.

A prefeitura, entretanto, ainda considera “controlados” os números relacionados à pandemia em Conquista. “A Prefeitura ressalta que o momento é de cautela, visto que a regulação é estadual e, por isso, Conquista também recebe pacientes de outros municípios baianos”, informa a administração municipal, em nota.

De acordo com a prefeitura, representantes da polícia, Ministério Público, Câmara de Vereadores, conselhos municipais, setores de bares, comércio e entretenimento manifestaram apoio ao toque de recolher.

Em Feira de Santana, o Hospital Geral Clériston Andrade está com 100% de ocupação tanto na UTI quanto nos leitos clínicos. No Hospital de Campanha, 15 dos 18 leitos de UTI estão com pacientes, segundo o sistema de acompanhamento de leitos da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab). O secretário municipal de Saúde, Edval Gomes, apresenta números um pouco menores, mas ainda preocupantes. “Hoje, graças a Deus, temos 13 pessoas em nossa UTI do Hospital de Campanha. Este valor representa 72% de ocupação. Apesar desta taxa atual, temos visto com preocupação os relatos de unidades de UTI lotadas em algumas regiões do estado e o aumento de casos de uma forma geral”, diz. A diferença dos números pode ocorrer por demora na atualização do sistema.

O diretor do Hospital de Campanha de Feira, Francisco Mota, nega que o sistema esteja em colapso, mas relembra a importância do distanciamento social, uso de máscaras e higienização das mãos. Ele atribuiu a alta na ocupação dos leitos às aglomerações observadas na cidade e também a moradores que, nas últimas semanas, foram veranear.

No Sul da Bahia, todas as cidades com leitos de UTI para Covid têm altas taxas de ocupação. Em Itabuna, 85% dos leitos estão com pacientes, enquanto na vizinha Ilhéus o índice é de 92%. Em Valença, são 90% dos leitos ocupados. A situação mais crítica é observada em Jequié, onde a ocupação é de 100% – são 19 leitos no Hospital Geral Prado Valadares e outros 10 no Hospital São Vicente.

Na capital, apesar da taxa de ocupação ser de 75%, diversas unidades estão pressionadas. É o caso do Hospital do Subúrbio, por exemplo, que registra, na última atualização do sistema da Sesab, 90% de ocupação dos leitos de UTI adulto, mas tem chegado a alcançar 100%. Todos os leitos clínicos da unidade estão com pacientes. No Hospital Municipal de Salvador, também há 100% dos leitos clínicos ocupados, enquanto a UTI adulto tem 85% de ocupação.

Completam a lista de cidades com maiores taxas de ocupação Paulo Afonso, Irecê e Itaberaba (90%), Eunápolis, Teixeira de Freitas, Seabra e Remanso (80%).

Toque de recolher – Até a próxima quinta-feira (25), estabelecimentos de serviços não essenciais deverão encerrar as atividades até as 21h30 para garantir o retorno dos funcionários às suas residências até as 22h. Empreendimentos como shoppings, bares e restaurantes, além de lojas de conveniência em postos de combustível, deverão estar fechados e vazios às 22h.

A Polícia Militar informou que colocará o efetivo nas ruas para garantir o cumprimento do decreto, junto com outros órgãos das administrações municipais. “A Polícia Militar, em conjunto com os poderes municipais, vai fiscalizar os estabelecimentos comerciais que tenham venda de bebida alcoólica. A exemplo de Salvador, esses trabalhadores terão até 22h30 para circular no transporte público”, afirma a porta-voz da PM-BA, major Flávia Barreto.

“Caso encontremos pessoas descumprindo o que está estabelecido, aí sim iremos conduzir para a delegacia, porque estarão cometendo dois crimes previstos no decreto, que são de desobediência e o crime contra a saúde pública. Essa condução apenas será feita se as pessoas insistirem em permanecer nas ruas aglomerando. Quem estiver se deslocando para suas residências ou à procura de serviços essenciais, como farmácias e hospitais, poderá circular normalmente”, completou.

*Todos os comentários são de responsabilidade dos seus autores